SEM TÍTULO

2022

da série “Como se constrói um corpo?”

 

vídeo

4’48’’

Tamanho da projeção: 65 x 200 cm

O filme do qual me aproprio é o mais antigo incluído no Registro Nacional de Cinema da Biblioteca do Congresso dos EUA, datado de 1891, emostra um menino balançando um par de claves de madeira por 12 segundos, e pressupõe parte de uma rotina de exercícios. A imagem corrobora com meus questionamentos como bailarino, e me coloco em relação a partir de um vídeo-performance/improvisação.
Essa criança repete movimentos criados para a construção de um padrão estético de um tempo que reverbera fortemente hoje, pois aprática dos “Indian clubs”, do qual ela fez parte, bem como o fisiculturismo podem ser entendidos como manifestações do “Cristianismo Muscular”¹, algo que moldou grande parte dos paradigmas que sustentam a ideia de corpo atual.

¹ O Cristianismo Muscular é um movimento filosófico que se originou na Inglaterra em meados do século 19, caracterizado por uma crença no dever patriótico, disciplina, auto sacrifício, masculinidade e a beleza moral e física do atletismo. O movimento entrou em voga durante a era vitoriana como um método de construção de caráter em alunos de escolas públicas inglesas.