NOCTURNO

2017 – 2018

Seduzido pelas ruas do centro, que se transforma durante a noite com o surgimento de seres da madrugada ocupando o espaço urbano com sua própria dinâmica. Do alto de minha janela, sou privilegiado observador, me preservando de ser notado ou interferir. À partir de então, me aproprio desse material para poder transformá-lo em uma reflexão sobre a quem pertence o espaço das cidades. O que os olhos do dia não querem ver, a noite se faz protagonista.

Curadoria Lucila Horn